sexta-feira, 18 de abril de 2008

Tricolor não vê ninguém à frente!

O placar foi só de 1 x 0. Mas não foi uma vitória difícil. O domínio foi total. A nítida proposta da LDU de entrar em campo só para se defender e a falta de atacantes de ofício impediram que o maior volume de jogo apresentado se espelhasse em mais gols.

A vitória foi justa e muito pouco ameaçada pelos equatorianos. É bem verdade que no finalzinho do jogo duas faltas próximas à área deixaram a torcida de cabelos em pé. Ainda bem que a LDU não possui um batedor como aquele que fez um golaço contra o Santos.

O Fluminense é no momento a equipe de melhor desempenho na competição. Poderá ser ultrapassado pelo Flamengo, mas fazer cinco gols de diferença no Coronel Bolognesi não parece ser tarefa tão fácil assim. O Atlas se conseguir vencer o Colo-Colo, em Santiago, já terá obtido uma façanha. Ganhar por três gols de diferença soa como missão impossível.

Apesar de toda a euforia da tricolada, a conclusão que se pode tirar dessa partida é que o plantel tricolor dispõe de apenas treze jogadores com capacidade para jogar na equipe titular. Treze, com muito boa vontade, porque o Ygor seguramente está num nível bem abaixo dos demais.

Maurício e Tartá poderão vir a ser bons jogadores no futuro. No momento são apenas promessas, muito verdes para integrar a equipe titular. David pouco produz, embora tenha justificado sua presença em campo pelo passe genial que deixou Junior César cara a cara com o Viteri. Esse não era um lance para ser perdido. Alguém deve instruir o Junior César que daquela posição, o gol é questão de jeito e não de chutão para cima do goleiro.

E por falar em Viteri, quem sabe não esteja aí a solução para nossos problemas? Goleiro de boa qualidade. O Fluminense poderia tentar contratá-lo e ficar com Fernando Henrique, Viteri e dois juniores no elenco, dispensando Diego e Ricardo Berna. O clube faria economia e ficaria melhor servido. Alô Branco, se liga nessa!

Que venham os chorões!

3 comentários:

Tricolor! disse...

Ótimo resultado, bom jogo.
Mas que idéia foi aquela do Renato de no final do jogo colocar 18 zagueiros e 715 volantes em campo?? Quem recua chama o adversário, isso é de uma obviedade cristalina.

Curioso que no início do ano ele armava o time com 3 atacantes, 2 meias, e 2 alas, com ninguém marcando ninguém.

Será que ele não conhece a palavra equilíbrio??

Anônimo disse...

Pedro escreveu:

Como estou em Floripa, tive que me contentar em ver o jogo de ontem pela TV em um bar barulhento. Claro q desta forma, não foi possível acompanhar bem o jogo, mas gostei do que vi.

Mesmo com todos os desfalques no ataque, (Washington, Dodo, Leandro Amaral além do Thiago Neves), o time soube administrar bem o jogo.

Para variar, no final o Renato tinha que testar nossos nervos, colocando aquele monte de cabeças de área. Mas deu tudo certo. A liderança do grupo 8 é nossa!

Claro que não dá para ser campeão jogando assim. Deu para o gasto para jogar a partida de ontem.

Contra os Chorões, o Washington terá que voltar mesmo, que atuando "meia-boca".

P.S.: E o Dodo? Ele não iria votar neste jogo de ontem?

Helio R.L. disse...

É, meus caros. O Renato anda meio perdido. Acho que ainda não está no ponto para técnico e sim para peladeiro. E o pior, está ficando medroso. Agora, pior do que encher o time de cabeças de área é enchê-la de cabeças de área que não sabem jogar.
Quanto ao Dodô, Pedro, só nas finais, se chegarmos lá. Tomara que sim.