quarta-feira, 22 de março de 2017

Fluminense 1 x 3 Nova Iguaçu. Um jogo para servir de lição.




Mancada! (foto: Celso Puppo / Fotoarena / Lance.com.br)

Derrota difícil de engolir. Ainda bem que veio numa fase que não é tão crítica, embora dificulte a meta de alcançar o primeiro lugar geral.


Agora, porém, não adianta chorar e o momento é de aprender com os erros, alguns deles repetidos desde as priscas eras.


A soberba dos dois zagueiros que se negaram a afastar o perigo simplesmente com um chutão, a inoperância de Marquinhos, Marcos JR e Maranhão, escalação e substituições equivocadas precisam ser revistas com urgência.


O fato dos zagueiros serem jovens não pode servir de salvaguarda.


Estão procurando crescer na profissão e por isso mesmo deveriam jogar com mais seriedade, sem tentar jogadas que ainda não tem plenas condições de realizar.


Uma pena perder a invencibilidade desse jeito.


Paciência, aconteceu e agora só nos resta recolher os cacos e primar para que não haja reincidência.


Minha preocupação maior é com a postura do Abel ao demonstrar uma imagem de “paizão”, deixando transparecer que nada de anormal aconteceu.


Louvável sua intenção de dar oportunidades às pratas da casa, mas não todos de uma só vez.


A escalação inicial de quatro zagueiros, um volante e um atacante desde o início somada às nulidades de Marquinho e Marcos JR aparece que assustou a molecada.


Não apregoo a escalação dos titulares nas partidas como essa, entendo apenas que não precisaríamos correr tanto risco. Renato Chaves e Pierre que quase não jogaram no ano seriam opções melhores a Marquinhos e Marcos JR, por exemplo.


Isso porque Marquinho continua nitidamente fora de forma física e enquanto continuar nessa situação colocá-lo em campo sempre será uma ação temerária.


Penso que Abel olha para ele e vê o Marquinho de 2009 ou 2010 sem se dar conta que lá se vão oito anos.


Precisa refletir que será mais útil para o clube e principalmente para o próprio atleta deixá-lo de fora por algumas semanas para que tenha a possibilidade de intensificar sua preparação física.


Marcos JR já é um caso à parte. Corre muito, corre mais, inegável seu esforço, mas objetividade nenhuma.


Dá até pena vê-lo tentando alcançar cruzamentos alçados sobre a área.


Mais incompreensível ainda a substituição do Oswaldo justamente no dia em que ele se apresentava bem.


Se era para colocar o Lucas Fernandes, que sacasse o Marquinho.


Reflita melhor Abel. Você é bom nisso, é só caprichar um pouco mais.





E DÁ-LHE FLUZÃO!



DETALHES:


CAMPEONATO CARIOCA – TAÇA RIO – 2ª RODADA


Fluminense 1 x 3 Nova Iguaçu


Local: Estádio Giulite Coutinho, Mesquita, RJ: Data: 19/03/2017 
Árbitro: Pathrice Correa Maia (RJ)
Assistentes: Jackson Lourenço M. dos Santos e Wallace Muller Barros
Gols: Marlon, aos 6', Pedro, aos 11' e Adriano, aos 37' do primeiro tempo;  Nogueira (contra, aos 27' do segundo
Cartões amarelos: Reginaldo, Nogueira e Léo  


Fluminense: Cavalieri; Mateus Norton, Nogueira, Reginaldo e Calazans; Orejuela, Wendel, Marquinho (Léo, 30' /2ºT); Osvaldo (Lucas Fernandes, 16' /2ºT), Marcos Jr. (Maranhão, 21'/2ºT) e Pedro. Técnico: Abel Braga


Nova Iguaçu: Jefferson; Thiago Crispin (Vinicius Matheus, 43'/1ºT), Simões, Murilo Henrique e Lucas; Anderson (Iuri, 13'/2ºT), Paulo Henrique, Caio Cezar (Renan Silva, 33'/2ºT); Wescley, Marlon e Adriano. Técnico: Edson Souza


sexta-feira, 17 de março de 2017

Fluminense 3 x 2 Criciúma. Como dificultar uma classificação tranquila!


Trio infernal. (foto: Celso Puppo / Fotoarena / Lance.com.br)

O jogo até que estava tranquilo: dois gols de vantagem em apenas dezoito minutos.

Aí vem aquele apagão tradicional de nossa defesa e gol dos catarinenses.

Consequência lógica: a antiga tensão que tanto atormentava os torcedores tricolores nesses últimos anos voltou a pairar no ar. Enfim conseguimos aguentar a vantagem até o intervalo.

No segundo tempo, o alívio veio logo aos dezesseis minutos com um chutaço do Sornoza.

A partir daí as coisas ficaram tranquilas com poucos sobressaltos aos nossos ainda combalidos corações.

Até que Abel resolveu fazer das suas, com substituições “à lá Cristóvão”.

Henrique, cansado, teria que sair.O lógico seria a entrada do Pedro, pelo menos no pensamento de grande parte dos tricolores.

Mas Abel é Abel e de quando em vez tem que dar uma escorregada.

Botou Marcos Jr, que como sempre, corre, corre ... corre e quase nada acontece.

Além disso, deslocou Richarlison para o meio.

Aliás, não consigo entender como pessoas esclarecidas conseguem enxergar Richarlison como centroavante.

Sua praia é jogar pelas pontas, deslocar-se para o centro e aproveitar o chute forte.

Jogando centralizado perde gols incríveis como aquele por volta dos quarenta minutos.

A jogada foi tão bisonha que a maioria nem notou o fato de que na sequência Marcos Jr. também ter desperdiçado a sobra de bola.

Mas ainda assim, o adversário atacava sem muito ímpeto, dando a impressão de já estar conformado com a eliminação.

Aí, novamente Abel resolveu dar uma mãozinha: substituiu Wellington por Marquinho.

Marquinho, um bom jogador, mas que ainda está longe de sua melhor forma.

Marquinho é hoje o Diguinho de 2012. Abel sempre dava um jeito de colocá-lo no final dos jogos, não importando as lambanças que fazia.

Bem, Marquinho pelo menos não faz tanta falta desnecessária.

Agora sim, seria a vez de Marcos Jr. substituir Wellington para dar mais canseira no Criciúma.

Vendo que o Fluminense resolvera recuar, Deivid mandou todo o seu time para a frente e bastaram quatro minutos para conseguir o segundo gol.

O fim da história todos sabem: sufoco total até o momento em que o juiz encerrou o jogo.

Mama mia, como é duro ser tricolor.

A benção João de Deus: estamos classificados.


E DÁ-LHE FLUZÃO!


DETALHES:

COPA DO BRASIL – 3ª FASE – JOGO DE VOLTA

Fluminense 3 x 2 Criciúma

Local: Estádio Giulite Coutinho, Mesquita, RJ: Data: 15/03/2017
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS) 
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Mauricio Coelho Silva Pena (RS)
Gols: Douglas, aos 15', Henrique Dourado, aos 18' e Diego Giaretta, aos 28' do primeiro tempo; Sornoza, aos 16' e Silvinho, aos 42' do segundo
Cartão amarelo: Marcos JR (com o jogo encerrado)
 
Fluminense: Cavalieri; Renato, Renato Chaves, Henrique e Léo; Orejuela, Douglas (Wendel, intervalo) e Sornoza; Wellington (Marquinho, 38'/2ºT), Richarlison e Henrique Dourado (Marcos Junior, 16'/2ºT). Técnico: Abel Braga

Criciúma: Edson; Raphael Silva, Diego Giaretta e Barreto; Diogo Mateus, Douglas Moreira (Caique, 30'/2ºT), Ricardinho e Marlon; Alex Maranhão (João Henrique, 17'/2ºT), Caio Rangel e Pitbull (Silvinho, 17'/2ºT). Técnico: Deivid


--------------------------------------------------------------------------------------------

COPA DO BRASIL – 3ª FASE – JOGO DE IDA

Criciúma 1 x 1 Fluminense

Local: Estádio Heriberto Hülse, Criciúma, SC: Data: 09/03/2017
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Auxiliares: Alex Ribeiro (SP) e Daniel Ziolli (SP)
Gols: Wellington, aos 14' e Alex Maranhão, aos 32' da etapa inicial
Cartão amarelo: Renato Chaves

Criciúma: Edson; Diogo Mateus, Giaretta, RaphaelSilva e Marlon; Barreto, Douglas Moreira, Alex Maranhão (Ricardinho, 16'/2ºT) e Caio Rangel; Andrew (Jheimy, 19'/2ºT) e Pitbull (Silvinho, 12'/2ºT). Técnico: Deivid.
 
Fluminense: Júlio César; Lucas (Renato, intervalo), Renato Chaves, Henrique e Léo; Douglas, Orejuela e Sornoza; Wellington (Marcos Junior, 32'/2ºT),  Henrique Dourado (Pedro, 26/2ºT) e Richarlison. Técnico: Abel Braga.