segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Fluminense 2 x 0 Goiás. Te cuida Raposa, a tua hora vai chegar!

Quem se habilita?
 A tarde começou com a justa homenagem a Washington e Assis, dois artilheiros que marcaram a década de 80 com seus dribles e gols maravilhosos.

Cabe a eles grande parte da mágoa que a mídia cretina nutre pelo Fluminense, afinal o Casal 20 foi mestre em destroçar a maioria das equipes mulambas da época.

Ao fim das homenagens, começou a festa.

Utilizando-se da mesma fórmula vencedora do jogo passado com diminuição dos espaços e pressão desde o início, o Fluminense obteve a sua oitava vitória até com certa tranquilidade.

E o bom time do Goiás não conseguiu resistir vinte minutos sequer a atuação segura do Tricolor.

Cícero completando boa jogada de Conca, aos nove minutos, e David contra ao tentar evitar a conclusão de Conca, aos dezenove, definiram o placar suficiente para a garantia de mais três pontos e assegurar a vice-liderança.

A destacar o oportunismo de Rafael Sobis por ocasião do segundo gol ao desarmar o zagueiro adversário na saída de bola e servir Wagner para dar prosseguimento a jogada. 

Se não fosse a desastrada atuação contra o Vitória e as lambanças da arbitragem a favor do Criciúma, a diferença para o Cruzeiro poderia ser menor ainda.

A vantagem construída logo no início não arrefeceu o ânimo da equipe, que com toques rápidos e domínio da posse de bola só não marcou o terceiro  por meros detalhes. 

Na segunda etapa, o Fluminense, manteve a posse de bola e mesmo sem abdicar do ataque diminuiu o ritmo do que se aproveitou o Goiás para tentar uma frustrada reação.

As poucas incursões goianas pararam nas mãos de Cavalieri, que mostrou a segurança costumeira.

Nada que chegasse a preocupar a Torcida Tricolor, agora livre dos percalços das atuações daquelas equipes que ao obter qualquer vantagem recuavam perigosamente e tentavam manter o placar na base dos chutões.

Cristóvão promoveu as entradas de Fred, Chiquinho e Rafinha, mantendo o rodízio dos atletas o que é salutar para o elenco.

A atuação de Fred foi discreta e pode se transformar numa dor de cabeça para o treinador, já que não possui mobilidade idêntica ao de Sobis.
Cristóvão afirmou que embora não tenha sempre um time definido pretende manter a mesma maneira de jogar, o que creio ser difícil de ser conseguido com Fred em campo.

As características próprias de Fred deverão exigir a companhia de um atacante veloz, que caia pelas pontas.

A solução pode passar pela saída de um volante, o que não será de todo mal, pois permitirá rodízio saudável entre eles, face ao número exagerado de jogos dos clubes brasileiros.

Sobre Cícero, Cristóvão declarou: “-Temos que aproveitar aquilo que ele pode dar para a equipe. Ele tem chegada, é um jogador alto, tem um bom posicionamento, boa impulsão. Vai nos ajudar muito, é um grande jogador”.

Tais assertivas provam que nosso atual treinador é mais perspicaz que seus antecessores, que por duas vezes preferiram abrir mão do concurso do Cícero em favor da manutenção de volantes pouco criativos. Aleluia!

As tratativas para a contratação de Juninho junto ao Palmeiras não evoluíram, o que pode ser muito bom para o Fluminense.

Quem sabe se assim Cristóvão abra os olhos para o Fernando, sem dúvida alguma a melhor revelação da lateral esquerda desde Marcelo e seguramente mais habilidoso que o pretendido Juninho.


E DÁ-LHE FLUZÃO!


DETALHES:

CAMPEONATO BRASILEIRO – 13ª RODADA

Fluminense 2 x 0 Goiás

Local: Estádio Mario Filho, RJ; Data: 03/08/2014 Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-SC)
Auxiliares: Kléber Lúcio Gil (Fifa-SC) e Carlos Berkenbrock (SC)
Gols: Cícero aos 9' e David (contra),aos 19' do primeiro tempo
Cartãos amarelo: Wagner

Fluminense: Cavalieri, Bruno, Gum, Henrique e Carlinhos; Valencia, Jean, Cícero (Chiquinho, 24'/2ºT), Wagner (Rafinha, 39'/2ºT) e Conca; Rafael Sobis (Fred, 16'/2ªT). Técnico: Cristovão Borges.

Goiás: Renan; Moisés (Assuélio, 34'/2ºT), Jackson, Pedro Henrique e Lima; Amaral, David, Thiago Mendes e Ramon (Esquerdinha, 27'/2ºT); Erik (Murilo, 17'/2ºT) e Bruno Mineiro. Técnico: Ricardo Drubscy.




*   *   *   *







2 comentários:

PCFilho disse...

Salve, Helio!

De fato, está dando gosto de ver nosso Fluminense jogar. Como escrevi na minha resenha, Cristóvão merece muitos aplausos pelo bom trabalho.

O Fernando é tão bom assim? Confesso que vi pouco dele para poder opinar.

E DÁ-LHE FLUZÃO!!!

Abraço!
PC

Helio R.L. disse...

Caro PC,

Vi o Fernando numa Copa São Paulo de juniores e gostei.

Depois vi um jogo dele na equipe titular e embora estivesse nervoso pela responsabilidade o que jogou deu para o gasto.

Se vai dar certo, não posso afirmar, mas acho que merece uma chance sob pena de perdermos __ quem sabe? __ um jogador de futuro, como possivelmente poderá acontecer com o Lucas Patinho, relegado sempre a segundo plano.

Acompanhei vários jogos dele e pelo que vi demonstrou ser superior a Kenedy, Chiquinho e Biro Biro.

Abraços.