segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Em busca do tempo perdido.

Caros tricolores, Renato não é mais o técnico do Fluminense.
.
Após tantas perdas, inúmeros erros e a ameaça real de rebaixamento, finalmente a diretoria atentou para a causa principal do mau desempenho de uma equipe, que se não é um primor de qualidade, deveria estar pelo menos entre os dez primeiros do campeonato e com a Copa Libertadores bem guardada nas Laranjeiras.
.
Falharam ao permitir que uma única pessoa definisse os destinos do clube, como se fosse infalível. Contratações de atletas indicados sem o mínimo critério técnico, o que aliás continuou até o presente momento, com a vinda de "reforços" de qualidade no máximo igual ao do plantel existente.
.
A injustificável retirada do time principal das primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro, sempre contestada nesse espaço, a escalação de jogadores sem qualidade técnica em detrimento de outros bem melhores, a falta de um padrão de jogo definido, de jogadas ensaiadas, as substituições estapafúrdias durante os jogos, enfim a perda de todos os campeonatos que disputou forçaram a diretoria a tomar a decisão, embora tardiamente.
.
Vá Renato, vá com Deus e que tenha sucesso em outro clube. Que os erros cometidos no comando do Fluminense sirvam de lição para moldar um outro tipo de treinador, mais moderado, menos dono da verdade e mais profissional. A torcida tricolor jamais esquecerá o gol de barriga contra a urubuzada e tem a certeza de que refletindo com calma na tranquilidade de seu lar, chegará a conclusão que essa era a única solução plausível para o desgaste irremediável.
.
Notícias dão conta que o clube corre atrás do Cuca. Deveria correr atrás do Parreira também. Caso realmente ele não queira mais trabalhar como técnico, que venha para o lugar do Branco. Coordenaria as divisões do futebol e não deixaria o Cuca chorar nem reclamar tanto das arbitragens.
.
De qualquer modo, pior do que estava é impossível.
.
VAMOS LÁ GALERA TRICOLOR. PRESTIGIAR O TIME DOMINGO NO MARACANÃ, PORQUE A COISA ESTÁ FICANDO PRETA.
.

3 comentários:

Pedro disse...

Pedro Escreveu:

Renato enfim se foi....
Mais um ciclo que se encerra. No comando por pouco mais de um ano, Renato deixou sua marca em mais uma passagem no seu no Fluminense.

Após um belo ano de 2007, campeão da Copa do Brasil e uma boa campanha no brasileiro, (4º lugar, apenas 1 ponto atrás do segundo colocado), o ano de 2008 foi uma sequencia de frustrações.

Verdade que batemos na trave na Libertadores... Foi por muito pouco... mas muito pouco mesmo, mas enfim.. também já é passado.

Vamos agora olhar para frente!

O time estava precisando de mudanças. A campanha no brasileiro está muito ruim e tempo está passando....

Na minha opinião, ainda não existe motivo para pânico... Embora pense que a demissão de Renato tenha sido um pouco tardia, acredito que o próximo treinador terá tempo de sobra para tirar o clube desta incomoda situação.
Estamos falando de 19 jogos. são quase 60 pontos em disputa.

Ventilam-se os nomes de Cuca e Parreira como novo comandante tricolor. O Parreira me parece pura especulação.
Não podemos nos esquecer que o Parreira abriu mão de uma bocada internacional, frente a seleção sul-africana.
Boatos dizem inclusive que ele pediu demissão para acompanhar sua esposa aqui no Rio, pois ela estaria sofrendo de uma grave doença.
Tenho certeza que o Parreira não assumiria este "rabo de foguete" neste momento.

Quanto ao Cuca, é um treinador reconhecidamente competente. Trabalhador, sério e muito mais estrategista do que o seu colega Renato Gaucho.
Apesar de tudo isto, seu nome não me agrada muito. O estilo dele de "coitadinho", e aquela imagem de "chorão botafoguense", não ajudam a construir uma imagem de treinador vencedor.
Aliás, penso desta aparencia de "coitadinho injustiçado" justifique em parte o fato dele ainda não ter conquistado nenhum título como treinador.

Mas enfim, se realmente Cuca for o escolhido pela cartolagem tricolor, será bem vindo.
O Flu precisa de mudanças. O Cuca não fará milagres, mas conseguirá colocar um pouco de ordem na casa.

Com o elenco que dispomos, (mesmo sem reforços), e um pouquinho de organização tática, sairemos com certeza da parte debaixo da tabela.

Domingo estarei no Maracanã contra o Galo. Uma vitória com um novo comandante será fundamental para o inicio da virada!

Saudações Tricolores!
Pedro

Marcio Cardoso disse...

Alo Helio e Pedro,

Saudacoes tricolores daqui do Texas (estah 40 graus na somba hoje por aqui!). Quente tambem eh a crise no Flu... ateh logo Renato.

Apesar da importante conquista na Copa do Brasil ano passado e grandes vitorias na Libertadores, a impressao eh q o elenco eh q estava chegando lah e com o treinador falastrao a reboque. Como mencionado varias vezes neste blog, varias escalacoes foram equivocadas e no final das contas faltou aquela lideranca (como treinador) q leva a titulos. Nao ter botado o time titular em campo nem uma vez no intervalo entre a semifinal e a final da Libertadores eh imperdoavel.

E tem mais, tem certos tipos de falhas q mostram q estah faltando muita coisa... como os 4 gols tomados em Quito em uma final de Libertadores e agora 2 gols em 3 minutos contra o Ipatinga.

Bem, meu palpite eh q vamos ganhar do Atletico no fim-de-semana e depois vamos para a batalha dos Aflitos. Sacode a poeira, Fluzao!

Helio R.L. disse...

Caros Pedro e Marcio,

Agora a coisa tem tudo para melhorar, porque pior do que estava é impossível. As viuvas do Renato, incluindo aí vários comentaristas renomados, condenam a demissão, alegando que o time perdeu a Libertadores no detalhe dos penalties e que o Renato não tem culpa se os jogadores erraram. Santa ignorância e desconhecimento de futebol, pois o Renato perdeu a Libertadores justamente aí, quando deixou o time se arrastando em campo para ir para esse tipo de decisão. Errou quando não mandou o time jogar prá frente, errou quando insistiu com o Ygor e manteve o Dodô no banco na partida decisiva. Perdeu aí uma substituição. Errou quando não fez alterações no início da prorrogação quando deveria ter substituído os mais cansados e até lesionados, como foi o caso gritante do Washington. Manteve Tartá e Somália no banco e entrou com Maurício. Tudo isso, além dos demais inúmeros erros cometidos durante todo o ano, que culminaram com a perda do campeonato estadual e a péssima campanha no Brasileirão.
Domingo, poderemos ir ao Maracanã, pois teremos a certeza de não ver o Fabinho em campo, aquela mala, cavaleiro do apocalípse tricolor.