quinta-feira, 7 de junho de 2012

Santos 1 x 1 Fluminense. Poderia ter sido melhor!


Carlinhos foi o nome do jogo.   (foto: Terra.com.br / Photocamera)


O resultado em si não foi ruim, porque num campeonato de pontos corridos o ponto conseguido contra o Santos na Vila poderá fazer a diferença no futuro, principalmente se o Fluminense confirmar a vitória no Rio de Janeiro, como fez no ano passado.

O ruim é que o time já cedeu dois empates em jogos que dominou a maior parte em consequência de falhas bisonhas, como a expulsão de Wallace contra o Figueirense e a pixotada de Edinho na noite de ontem, mais uma e dessa vez tão patética que chegou a ser reconhecida pelo próprio.

É difícil entender como o Abel insiste em mantê-lo no time titular. Acredito que toda a Torcida Tricolor espera que o retorno de Valencia o coloque definitivamente no banco de resevas.

O melhor mesmo seria que a Comissão Técnica estabelecesse um programa de reciclagem para Edinho com o objetivo de ver se ele consegue chegar perto da forma que tinha no tempo em que jogava no Internacional.

Enquanto os medalhões que vivem lesionados não voltam, a garotada têm dado conta do recado e alguns demonstram a cada dia que passa que serão melhores suplentes que muitos dos jogadores contratados a peso de ouro e que pouco produzem.

Difícil é enfiar a ideia na cabeça do Peter que, do mesmo modo que seu antecessor, só fala na necessidade de vender, o que certamente contribui para a desvalorização das promessas que surgem.

Posturas como esta levam invariavelmente ao mesmo resultado: perda de craques liberados por preços vis para brilharem nos quatro cantos do mundo sem que o clube receba o benefício que seria lícito esperar.

Quanto ao jogo, à exceção do susto inicial com o gol de Reinteria, passei quase todo o tempo maior tranquilidade.

O Fluminense jogou melhor, teve mais posse de bola e poderia ter saído vitorioso não fosse o gol legítimo anulado por um impedimento inexistente. Aliás era um lance tão fácil de ser observado pela bandeirinha, que seu erro só pode ser explicado pela falta de qualidade, de visão ou por ser um cidadão caseiro.

Alguns dirão que a falta em Carlinhos foi fora da área. Pode até ser, embora em minha opinião o defensor santista começou o empurrão fora da área e só parou dentro dela, o que caracteriza o local da falta. Essa é uma das recentes modificações da regra que muitos comentaristas teimam ou fingem não saber.

Mas ainda que não tenha sido penalti, houve um outro lance muito mais claro e também ignorado pela arbitragem, que foi o agarrão de Edu Dracena em Gum, visível até do Pacaembu.

Os idiotas da objetividade, como diria o grande Nelson, deram destaque aos desfalques do Santos.

É verdade, sem Neymar o Santos é um time comum e ainda não contava com Arouca e Ganso.

E o Fluminense, quantos desfalques teve? Deco, Fred, Wellington Nem, Thiago Neves, além de Valencia, que se estivesse em campo evitaria a presença do Edinho.

Jean e Wagner, aos poucos vão produzindo mais, o mesmo acontecendo com Lanzini, apesar da pressão que pesa sobre ele à medida que se aproxima a hora de voltar para o River.

Carlinhos foi o nome do jogo. Há muito não o via com tanta disposição e objetividade. Se tivesse mostrado esse mesmo espírito na Bombonera, o Boca não teria vencido aquele jogo fatídico.

Até que enfim Abel se rendeu à categoria de Lucas Patinho e prometeu dar mais chances a nova revelação do meio de campo.

Marcos Junior incansável. Para ele não tem bola perdida. Com sua saída,o Fluminense esmoreceu e acabou levando um pequeno sufoco nos minutos finais.

Samuel e Matheus Carvalho continuam devendo. O primeiro nada fez de útil e ainda por cima não leva sorte, porque quando consegue marcar a arbitragem anula o gol. Talvez esteja passando da hora do Michael, que entrou no final, ter mais oportunidades nas ausências do Fred.

Matheus nada mostrou nas inúmeras oportunidades que recebeu. Como tem parte de seus direitos ligados à Traffic, fico com a pulga atrás da orelha sobre a real causa de tanta insistência.

Bem, esse jogo já passou e não adianta mais lamentar.

Agora o que interessa é o próximo contra o Inter e tomara que pelo menos o Deco e o Valencia reforcem a equipe para mais uma vitória sobre os colorados.


E DÁ-LHE FLUZÃO!

  
DETALHES:

Santos 1 x 1 Fluminense

Local: Vila Belmiro, Santos (SP);  Data: 6/6/2012

Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)

Assistentes: Adson Marcio Leal (BA) e Luiz Carlos Teixeira (BA)

Gols: Rentería, aos 4' e Carlinhos, aos 26' do primeiro tempo.

Cartões Amarelos: Edu Dracena, Adriano, Alan Kardec (Santos); Edinho (Fluminense)

Santos: Aranha, Maranhão, Edu Dracena, Durval e Juan (Felipe Anderson, 18'/2ºT); Adriano, Henrique, Elano (Geovânio, 32'/2ºT), Alan Kardec (Victor Andrade, 43'/2ºT) e Léo; Rentería. Técnico: Muricy Ramalho

Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Anderson e Carlinhos; Edinho, Jean, Wagner e Lanzini (Lucas Patinho, 32'/2ºT); Marcos Júnior (Matheus Carvalho, 24'/2ºT) e Samuel (Michael,37'/2ºT). Técnico: Abel Braga

5 comentários:

Rodrigo Stopa disse...

A

Rodrigo Stopa disse...

Bom dia,
Acho que o Edinho desde o Jogo contra o Boca ( onde ele foi perfeito ) melhorou muito! Eu achei que a pixotada teria sido do Bruno, e não do Edinho, ( vou ver de novo na internet ).
Concordo sobre o Lucas Patinho, eu que nunca o tinha visto jogar, achei de muita qualidade o pouco que pôde mostrar.
E mais uma vez ficou o gostinho de " Poderia ser 3 pontos ", o time criou muito, pecou apenas no último toque, com certeza com um matador jogando, os Gol's sairiam !
Estou animado com o Fluzão!
Rumo ao título!
Rodrigo / Uberlandia

Helio R.L. disse...

Rodrigo,

A falha foi mesmo do Edinho, como ele próprio reconheceu na entrevista pós jogo.

É verdade que o Anderson teve a sua parcela de culpa ao chegar atrasado na disputa com o Renteria.

saudações Tricolores.

Anônimo disse...

cuidado amigo em suzano rua 9 de julho tem uma falça mãe de santo mãe valéria de ogum vigarista espertalhona exterionataria cuidado com o golpe dela

Anônimo disse...

em suzano existe amelhor mae desanto do brasil honestissima 100% satisfaçaõ