quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

A desorganização administrativa da Portuguesa é antiga e há muito sua torcida pede a saída de Manuel da Lupa, que não é nada desse inocente distraído que nos tentam impingir.


A cada dia que passa surgem novas evidências que, se não explicam em definitivo, pelo menos dão uma pequena luz sobre o que realmente está por trás dessa onda massiva e torpe contra o Fluminense.

Afinal a imagem de pureza e de inocência apregoada a favor da Portuguesa não passa de uma balela contestada até por seus próprios torcedores, que há muito pedem a cabeça de seu desastrado presidente, cujo mandato, segundo eles, está eivado de irregularidades.

Segundo publicado, “Nos últimos anos, a Portuguesa vem sendo vítima da ação temerária de seu presidente, Manoel da Lupa, e sua “patota”, que mandam, desmandam e se locupletam no clube, que hoje se encontra em situação financeira lamentável e nem é sombra da importante equipe de futebol de outrora”. (sic)

O ápice do problema foram os empréstimos pessoais tomados por ele e parceiro entre 2010 e 2012 do banco BANIF, totalizando de R$ 34 milhões, valor hoje muito maior pelo acréscimo dos juros de mora.

Em maio de 2013, da Lupa ingressou com defesa judicial anexando documento em nome da Lusa, de confissão de dívida, dizendo que os empréstimos foram tomados em seu nome, mas eram na verdade do clube, que não poderia fazê-lo em virtude de estar com o nome sujo na praça.

Dentro do clube não se sabe ao certo o destino que foi dado ao dinheiro e por isso mesmo membros da oposição em Nota Oficial denunciaram o fato ao Conselho de Orientação e Fiscalização do clube “pedindo a anulação de tudo que esse senhor que está na presidência da Portuguesa fez”. (sic)

Pior é que, em ação que prejudica ainda mais a Lusa, no mesmo documento de confissão, o clube deixou à disposição do BANIF não apenas a sua sede social, como garantia de pagamento, mas também os direitos financeiros de seus aproximadamente 30 jogadores.

Desse modo, certamente seria muito proveitoso para a Portuguesa que seus torcedores em vez de se engajarem na campanha  anti-Flu  fazendo o papel de simples inocentes úteis para a mídia manipuladora, voltassem suas baterias para essa administração caótica e procurassem apurar os reais motivos que culminaram na escalação de um jogador reserva num “jogo de compadres” em que o zero a zero servia aos objetivos dos dois clubes envolvidos.

O apoio irrestrito a um presidente cujas ações são contestadas dentro de suas próprias hostes poderá até levar o clube à insolvência.

Quanto à parte da mídia interessada em conturbar os fatos, é fácil entender os objetivos daqueles que não desejam a instauração de uma investigação profunda, principalmente os que fazem parte da exclusividade das transmissões.

O que é difícil de entender é a insistência dos jornalistas da ESPN em imputar a culpa do imbróglio ao Fluminense e insistir na distorção da verdade sobre os casos ocorridos no passado, nenhum deles criados por ação direta do Tricolor.

E o mais estranho ainda é que a desfaçatez é de tal monta que se negam a dar ouvidos ao histórico dos fatos, muito bem descrito pelo Paulo Vinicius Coelho, colega de emissora desses detratores.

O mais interessante é a tese de última hora encampada e divulgada insistentemente por Juca Kfouri e sua trupe de que a saída para consumar o não cumprimento do regulamento previamente acordado e assinado por todos, seria apelar para o Estatuto do Torcedor, apoiando-se no princípio de que as penalidades resultantes de qualquer julgamento só teriam validade após a sua publicação no site da CBF na internet.

Essa absurda alegação que poderá até ser considerada no julgamento do Pleno do STJD, face às pressões descabidas que seus membros vêm recebendo, se adotada, pelo princípio da isonomia teria que ser estendida aos demais julgamentos realizados às sextas-feiras no decorrer do campeonato.

E se essa regra parida de gênios oportunistas prevalecer será inevitável a constatação de que muitos clubes que cumpriram a regra que havia sido acordada acabaram por escalar jogadores irregulares e que por consequência perderão os pontos ganhos em campo.

Só para ilustrar, o exemplo citado pelo amigo Sérgio Trigo, em seu artigo “Tese de Padaria”, publicado no site “O Tricolor.com”.

O atacante Emerson, do Corinthians, mesmo sem ter sido expulso de campo, foi punido com um jogo suspensão em um julgamento realizado numa sexta-feira, por ter agredido um adversário com uma cotovelada flagrada pela TV. Como não houve expulsão, não foi cumprida a suspensão automática. Ciente das regras do futebol brasileiro, o seu clube o deixou de fora na partida do fim de semana, voltando a escalá-lo na rodada seguinte.

Ora, se a tese divulgada ao extremo pelo Juca prevalecer, o Corinthians teria violado o regulamento ao escalar o atacante no jogo subsequente em que empatou com o Santos e ser penalizado com a perda de quatro pontos em virtude da suposta irregularidade que teria sido cometida.

Passaria a ter 46 pontos e ficaria atrás do Fluminense por ter uma vitória a menos. Só que, assim como o Corinthians, qualquer clube que tiver cumprido o regulamento tal qual se faz desde sempre, o terá infringido.

Não somente na Série A, mas também em todas as outras séries e competições do futebol brasileiro. Será preciso então rever todos os julgamentos realizados até hoje, checar a data de publicação das penalidades e conferir se as punições foram cumpridas da forma correta.

Isso sim é tapetão. Isso sim será a mais espetacular virada de mesa da história do futebol mundial.

Assim a tese kfouriana nada mais será que um tiro no próprio pé.

A sequência a seguir ilustra várias publicações envolvendo o Sr. Manuel da Lupa e alguns comentários dos torcedores da Lusa, vítima de seu próprio presidente.

E notem que nada foi falado do Flamengo.

Portanto, tricolores não deem ouvidos a essa máfia interessada em denegrir o nosso clube, maior, bem maior do que as sandices divulgadas com objetivos duvidosos.


E DÁ-LHE FLUZÃO!













3 comentários:

PCFilho disse...

Excelente, caro Hélio! Excelente!

Desde o princípio desta confusão, desconfio de que os dirigentes da Portuguesa são os vilões da história. No dia 12 de dezembro, publiquei um conto de "ficção", que pode ser lido aqui, explicando o que eu acho que está por trás disso tudo: De tribunais e outros demônios

Saudações Tricolores, Feliz Natal e um ótimo 2014 para você, amigo.
PC

ALEXANDRE MAGNO disse...

Ser criticado por tal personagem e seus 40 amigos, é o maior elogio que o FFC poderia receber!

Anônimo disse...

O GLOBO ESPORTE.COM JÁ PROCUROU O TORCEDOR DO PALMEIRAS PARA DÁ SUMIÇO NO VÍDEO MAIS O TORCEDOR NÃO QUER ENTREGAR A GLOBO E SIM AO MINISTÉRIO PUBLICO SE ESSE VIDEO CAIR NA MÃO DA FLAPRESS GLOBO ESPORTE.COM OU TV GLOBO ESSE VÍDEO SERÁ QUEIMADO E DESTRUIDO PARA ESCONDER A GRANDE E DIABOLICA FARSA DA GLOBO FLAMENGO E DIRIGENTES DA PORTUGUESA http://globoesporte.globo.com/platb/meiodecampo/2013/12/25/heverton-discute-com-torcedor-via-twitter/