quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Fluminense 0 x 3 Santos. Acidente de percurso!

                              Eta departamento médico bão!

Uma noite para esquecer, deu tudo errado.

A começar pela escolha do substituto do Mariano. Muricy esqueceu a máxima de que para jogar em time grande é preciso mais do que alguns poucos treinos.

Desde o início, Marquinhos mostrou que não estava muito à vontade em campo. Sentiu claramente o peso da camisa de um time líder, compreensível para um jogador que até pouco tempo jogava sem nenhuma pressão num clube da série B.

Não se trata de crucificar um jovem atleta, mas a decisão de escalá-lo foi precipitada. Não que Thiaguinho seja o cara, mas pelo menos tem a experiência de já ter sido campeão pelo Botafogo e jogado algumas vezes no próprio Fluminense.

No lance do primeiro gol do Santos, a bola no segundo chute do Neymar nitidamente ia pra fora. A intervenção atabalhoada e desnecessária do Marquinhos a fez chocar-se com a trave e voltar límpida para Zé Eduardo marcar.

No terceiro gol, não estava na posição e nem se preocupou em tentar voltar, obrigando Diogo a um esforço hercúleo na tentativa de fazer a cobertura.

Em suma Marquinhos em momento algum conseguiu apoiar o ataque com objetividade e deixou uma avenida pelo seu setor. Sua substituição no intervalo certamente teria sido mais produtiva que a entrada do André Luis.

Outra questão delicada foi a entrada de Fred no intervalo. Depois de setenta dias parado, mesmo que não voltasse a sentir a contusão, a probabilidade dele não aguentar todo o segundo tempo era muito grande. Se tivesse entrado de início, poderia ter dado lugar ao Washington logo aos três minutos e o time jogado completo toda a partida.

Certo fez o Adilson com relação ao Dentinho. Entrou com o atacante desde o início e quando ele sentiu simplesmente o substituiu e o Corinthians jogou completo, sem sobrecarregar ninguém.

Aliás, sob esse aspecto cabe comentar a diferença de postura dos médicos dos dois clubes após os respectivos jogos.

Enquanto o do Corinthians declarava que iria investigar a fundo a causa de tantas contusões musculares em Dentinho, anormais em atletas jovens, nada se ouviu a respeito por parte do médico tricolor.

Lembro o caso do Roni, que ficou inativo por quase um ano por conta de uma distensão “incurável”, até a descoberta de um foco inflamatório que impedia sua recuperação. Não seria o caso de procurar também no Fred as causas de tantas contusões musculares? Com a palavra o conturbado departamento médico tricolor.

Para completar a sucessão de equívocos, a formação do banco. Questiono a presença de Belletti, já que ele nunca é utilizado. Muricy deixa transparecer que ainda não confia completamente nele e talvez por isso mesmo fosse mais efetiva a presença de Équi Gonzáles ou Tartá, jogadores que podem alterar o andamento de uma partida, já que Marquinho pouco vem acrescentando à equipe há bastante tempo.

Apesar de todos esses fatos nem tudo está perdido, porque nenhum dos demais candidatos ao título venceu na rodada. A exceção ficou por conta do Santos, que ainda está dez pontos atrás.

Do jogo em si nada mais a destacar, pois como já foi dito deu tudo errado. Resta elogiar a postura da Torcida Tricolor, aplaudindo o time mesmo na derrota. Afinal, o Fluminense continua líder e se o Goiás der uma mãozinha hoje à noite, a distância continuará a mesma.

Domingo, uma batalha quase decisiva. Se realmente puder contar com Emerson, Deco e Diguinho as chances de vitória aumentam, afinal o Cruzeiro não é tudo isso que a mídia cretina propala.

E DÁ-LHE FLUZÃO!

(crédito da foto: globo.com)


4 comentários:

dinho machado disse...

Hélio,

Concordo com você sobre a escalaçao de Marquinhos, Um desastre. Para falar a verdade estou questionando a competência do Muricy. Acho que el não sabe escalar o time e muito menos substituir. O grupo não é ruim, não é ótimo também, pois o banco é infinitamente menos competente que os titulares. Não entendo porque o Équi e o Tartá não jogam nunca. Nosso guarda-metas não é bom. O Marquinho não me convence. E o Washington é um poste. Mas colocar o Fred que ficou com medo de se contundir de novo, foi um erro gigantesco. Não merecemos sofrer tanto.

Marcio Cardoso disse...

Alô Hélio,

eu acho que foi pior do que acidente de percurso. Não pelo placar elástico, que não traduziu o jogo que poderia até ter terminado em empate, mas pelos preciosos pontos perdidos em casa e outra prova de que o time é frágil em horas cruciais. Daqui até o final do mês só tem casca grossa: Cruzeiro fora, Botafogo, Atlético fora e Grêmio - o melhor time do retuno. Só tem parada dura! Das duas uma: ou vamos conseguir pontos importantes nestes jogos e partir para as últimas rodadas com boas condições para o sonhado título ou vamos ser atropelados. No momento estou pessimista, mas com a esperança de que dentro de campo Conca e cia vão se superar.

Dá-lhe Fluzão!

Helio R.L. disse...

Dinho,

Marquinhos se contundiu ou arranjaram uma contusão para ele, assim não teremos o dissabor de vê-lo substituindo o Mariano.

Não sei o que hé com o Équi e o porque do Muricy nunca utilizá-lo. Desde que chegou só deu a ele uma oportunidade, contra o Grêmio pela Copa do Brasil, na semana em que perdemos o ataque titular (Fred e Alan).

Quanto ao Tartá continuo com a mesma sensação de boicote desde que ele não acitou ter seus direitos repassados à Traffic, a asa negra do Tricolor.

Se conseguirmos pelo menos empatar com o Cruzeiro, a coisa melhora.

Saudações Tricolores.

Helio R.L. disse...

Fala Marcio,

A coisa té preta, mais pelas contusões e pela ineficácia de nossos médicos.

Com o time completo, ou pelo menos com as voltas de Mariano, Diguinho e Emerson ainda teremos chances de derrotar os próximos adversários.

Vamos torcer.

Saudações Tricolores.