segunda-feira, 16 de março de 2009

Fluminense 3 x 1 Macaé. E como escreveu a galera: "Fred chegol."

.

....... O artilheiro marcou dois gols na estreia com a camisa do Fluzão
.
.
E chegol mesmo. Duas piabas para começar. E ainda que longe de suas melhores condições físicas e técnicas evidenciou que a carência de um matador está com seus dias contados.
.
O jogo foi complicado, principalmente na primeira etapa, onde o sistema de marcação do Macaé esteve muito bem. Embora dominando quase que completamente a partida, o Fluminense teve dificuldades para penetrar na defesa adversária e quando o fazia os arremates não surtiam o efeito desejado.
.
Paradoxalmente, como ele próprio declarou na coletiva, no primeiro tempo, Fred parecia estar preso ao gramado, sem mobilidade e sem o tempo de bola necessário para suplantar os adversários.
.
Thiago Neves se apresentava sem inspiração, errando incrivelmente passes e finalizações que nos áureos tempos teriam o destino certo. Conca com certa apatia também pouco produzia.
.
Então as deficiências defensivas de sempre vieram à tona. Bastaram apenas dois arremates para que sofrêssemos o gol. E ele veio de modo bisonho. Romeu errou um passe fácil no meio campo e propiciou o lançamento de Bill para o atacante Wallacer vencer FH com uma cabeçada suave, mas certeira. FH chegou a tocar na bola sem conseguir desviá-la. Talvez se estivesse um pouco menos adiantado poderia ter tido êxito. Confesso que senti um friozinho na barriga com medo de estar renascendo ali o antigo "mão de alface".
.
O gol do Macaé evidenciou mais uma vez a dificuldade de nossa zaga com as bolas aéreas. Tanto Luiz Alberto como Edcarlos perdem quase todas para os adversários, seja na defesa ou no ataque, quando muitas vezes chegam a atrapalhar os atacantes.
.
Penso que com a chegada do Fred, Parreira poderia armar um esquema tal que evitasse que os dois fossem ao ataque ao mesmo tempo, porque depois da saída do Thiago Silva essas incursões têm sido inócuas e uma tranquilidade para os adversários. Uma oportunidade ao Cássio já se anuncia como viável.
.
O saldo positivo é que mesmo perdendo a equipe não esmoreceu e continuou pressionando e comandando o jogo, ainda que de modo atabalhoado.
.
Veio o intervalo e Parreira corrigiu o erro de escalação. Substituiu Romeu por Leandro Bonfim. A mexida melhorou sensivelmente a objetividade da equipe. Não que ele seja uma exuberância de jogador, mas pelo menos tem uma saída de bola melhor.
.
A realidade é que Romeu, ao contrário do que Parreira apregoou, não é meia, é volante e, por sinal, melhor que Fabinho e Jailton. Sem ser um craque renomado, marca melhor do que apoia e de vez em quando ainda acerta alguns chutes de fora da área. Sua escalação como meia foi uma das idiossincrasias de René Simões, que a bem da verdade, preferia jogar com dois ou três "cabeças de área" marcadores.
.
Wellington Monteiro não chegou a comprometer, embora o adversário tenha atacado pouco. Não sei não, ainda acho Diguinho o mais qualificado do plantel para jogar como primeiro (e tomara que único) volante.
.
Com a expulsão do André Gomes aos oito minutos, o time teve mais espaço para jogar. Parreira esperou cerca de doze minutos e então mostrou ousadia e substituiu de uma só vez os dois laterais, colocando Maicon e Marquinho abertos pelas pontas. A partir daí e com Fred se soltando cada vez mais, a virada seria questão de tempo.
.
E água mole em pedra dura ... e foi assim que aos vinte e três minutos, Conca numa cobrança de falta milimétrica colocou a bola na área para Fred marcar o seu primeiro gol com a camisa tricolor.
.
Menos de dez minutos após, o mesmo Conca numa metida de bola magistral colocou Everton Santos na cara do gol. O chute explodiu no travessão e no rebote Thiago Neves, de voleio, estufou as redes do Macaé sem apelação.
.
O time se soltou de vez e aos quarenta e dois, Marquinho centrou para a área, Everton raspou de cabeça na direção de Fred, que teve tranquilidade para matar a bola no peito e com um toquinho deslocar o goleiro. Era o fim da zebra e a confirmação da vitória.
.
Fred pôde mostrar toda a sua categoria. Certamente quando recuperar a plenitude de suas condições físicas será um tormento para as defesas adversárias.
.
Thiago e Conca também parecem estar necessitando de melhor condicionamento e quando isso acontecer e o clube conseguir suprir as deficiências gritantes de algumas posições, ninguém vai segurar o Fluzão. E ainda tem o Leandro Amaral em recuperação.
.
A torcida fez a sua parte. 25.841 espectadores, num domingo chuvoso, com o jogo transmitido para o Rio pelas TV's Globo e Bandeirantes e ainda a incerteza quanto à estreia de Fred. Nos próximos, certamente teremos casa cheia.
.
DÁ-LHE FRED, DÁ-LHE THIAGO NEVES, DÁ-LHE CONCA, DÁ-LHE EVERTON, DÁ-LHE PARREIRA!
.
DÁ-LHE FLUZÃO!
.

3 comentários:

Anônimo disse...

DÁ-LHE FRED, DÁ-LHE THIAGO NEVES, DÁ-LHE CONCA, DÁ-LHE EVERTON, DÁ-LHE PARREIRA!

DÁ-LHE FLUZÃO

É ISSO AÍ!!!!

Pedro disse...

Fred Chegol mesmo....

Vamos fazer uma pequena justiça aqui:

Eu, que sempre critico a diretoria tricolor neste blog, gostaria desta vez dar os parabens a cartolada tricolor (e principalmente Celso Barros) pela contratação do Fred.

Além do alto investimento, a paciência tricolor, ressalta-se a visão em buscar um jogador do nível do Fred na Europa.

Na minha opinião, esta contratação será muito mais útil a equipe do Flu do que a arriscada jogada de marketing Corintiana, por exemplo. Torço pelo Ronaldo, acho até que ele ajudará a sua equipe, mas se eu pudesse escolher entre os dois, ficaria com o Fred sem pensar duas vezes.

E vamos ao que interessa:
Fred continua marcando nas estréias.
Foi assim no América Mineiro, no Cruzeiro, Lyon, Seleção Brasileira e agora no Fluminense. Mineiro Pé-quente!

É um jogador muito acima da média. Trata-se de um atacante completo.
Se ele conseguir dar seqüencia de jogos e desenvolver metade do que pode, o Flu já se torna favorito ao título carioca de 2009!

Saudações Tricolores,

Helio R.L. disse...

Concordo com vc Pedro quanto à bola dentro do Celso Barros dessa vez. Mas para ficar quites com a torcida tricolor precisará de mais algumas contratações de impacto para compensar as malas que ele ajudou a trazer. Só para lembrar:Ygor, Elias, Eduardo ratinho, Roger, Jailton, Ciel, Branco, além do frangueiro boêmio que jogava no Vasco.
A cartada certa de agora não garante besteiras futuras. Imagine que eles estavam querendo contratar o André Luiz, que despenrado criou a maior quizumba no jogo do Botafogo com o Náutico, além de tirar o cartão vermelho da mão do árbitro em pleno Engenhão.
Por sorte nossa, o brigão já estava acertado com o Atlético Mineiro. Com essa turma, temos que ficar sempre com as barbas de molho.
Saudações Tricolores.