quinta-feira, 26 de junho de 2008

Calma, gente, nem tudo está perdido. A negra vem aí!

Atuação desastrosa, uma verdadeira calamidade. Também o que se poderia esperar de um time que não jogava há mais de um mês? Nada mesmo, a não ser o que se viu. Uma equipe apática, com quase todos os jogadores sem ritmo de jogo. À exceção de Fernando Henrique, Conca e Arouca, enquanto aguentou, o resto foi uma lástima.

Até Thiago Silva, o esteio de nossa defesa, jogou mal. Foi batido facilmente no primeiro gol da LDU e em muitas ocasiões parecia uma barata tonta, dando chutões para onde apontava o nariz. O resto não existiu. Os demais zagueiros estavam pregados ao chão, parecendo ter sido colados com super-bonder ou araldite. Luiz Alberto foi ridículo, Júnior e Gabriel, sonolentos. Ygor não surpreendeu, foi ele mesmo, o de sempre, ou seja uma baranga.

A atuação apagada demonstrou mais uma vez que para se ter sucesso em partidas decisivas é mandatário que se tenha ritmo de jogo. O Fluminense não teve. Faltou pegada, posicionamento, inspiração.

A maioria dos torcedores, cronistas desportivos, membros da direção tricolor deram loas ao Renato pela "maravilhosa tática" de preservar o time para a decisão final, com o objetivo de evitar que alguém se machucasse.

Esqueceram-se do fundamental, a equipe iria perder a pegada e a apatia que se viu no primeiro tempo do jogo com a LDU não deixa margem a dúvidas. Tomar dois gols de escanteio é inadmissível para uma equipe do porte da do Fluminense.

E o Washington? De onde surgiram essas dores musculares? Afinal, ele não estava na redoma do Renato? Perdeu um gol cara a cara com o goleiro e ainda deu um passe magistral para o adversário por ocasião do quarto gol. Aliás, não foi a primeira vez. Já fez o mesmo papaelão no campeonato estadual. Melhor seria que não mais recuasse nos escanteios. Correriamos menos perigo.

Mas ainda nada está perdido. É só o nosso treinador descer de seu pedestal arrogante e por a cabeça para funcionar. Alguns jogadores que nada jogaram, Cícero, Luiz Alberto, Gabriel, Thiagos Silva e Neves, Washington, só para citar alguns, deveriam enfrentar o Botafogo para melhorar o condicionamento físico.

Se a equipe voltar a jogar como jogou contra São Paulo e Boca, ganha de barbada. A defesa da LDU é uma verdadeira baba e se for apertada, irá entregar o ouro mais cedo ou mais tarde. Temos 120 minutos para fazer uma diferença de três gols, tarefa perfeitamente alcançável. É só querer, (e escalar o time certo também).

E com o apoio irrestrito da Galera, a coisa fluirá mais facilmente. É isso aí tricolada, vamos à luta na próxima quarta e empurrar esse time para cima dos equatorianos que a Libertadores será nossa. Muito mais nossa de que deles, mas o que importa mesmo é que será do Fluminense. Bota fé que dá!

3 comentários:

Marcio Cardoso disse...

ALo Helio,

como havia te escrito, assisti com a camisa tricolor daqui do Texas. Confesso q o 4x1 deu aquele calafrio, mas com o segundo gol tricolor e aquela esfriada no segundo tempo, acho q a situacao acabou ficando razoavel.

Como vc disse, ganhar de 2 gols no Maraca eh bem possivel e ainda teremos uma prorrogacao se necessario.

Melhor ter q ganhar de 2 do LDU do q enfrentar um Boca Juniors jogando pelo empate... acho q o proximo jogo eh um desafio mas eh bem mais simples do q Boca e SP.
Nada vem facil para o Flu... serio, eu nao mem lembro de uma soh conquista em o jogo final jah estava meio decidido... a conquista da Libertadores nao poderia ser diferente.
Esperamos pela festa bonita da torcida na proxima quarta e q tenha um final feliz!
Abc,
Marcio

Helio R.L. disse...

Alô Marcio,

É hoje o dia. Tem que dar. Estaremos todos no Maraca empurrando o time pra cima da LDU. A vitória terá duplo sabor: a conquista da Libertadores e olhar a cara de bbc dos urubus. Grande abraço.

Tricolor! disse...

Time guerreiro, time valente.
Técnico nem tanto.

A pior fatalidade que já presenciei.

Levarei mais de 512 anos para elaborar/entender isso.