segunda-feira, 12 de maio de 2014

Fluminense 2 x 0 Flamengo. “Desgosto profundo se faltasse o Flamengo no mundo”!


Será que dessa vez nossos dirigentes se convenceram de que é necessário  ter no elenco jogadores
de velocidade? Wellington Nem, inadaptado na Ucrânia, está dando sopa.

Dia das mães.

Maracanã em festa com as torcidas cada uma festejando o seu clube a seu modo sem as barbáries praticadas pelos vândalos espalhados pelo Brasil afora.

Insuflados pela mídia cretina os torcedores do urubu consideravam a vitória como favas contadas.

Alguns chegavam até a vaticinar a devolução da goleada do campeonato carioca, ainda engasgada em suas gargantas.

Pelo menos a maioria dos que vi pensava assim.

Logo que o jogo começou o panorama foi bem diferente, com o Fluminense sufocando os rubro-negros a ponto de deixá-los sem opção alguma para atacar.

E bastaram apenas dez minutos para que o placar fosse aberto.

E nem mesmo a vantagem obtida arrefeceu o ímpeto tricolor, bem diferente agora daquele time que fazia um gol e se entrincheirava atrás dando bico para todos os lados e rezando para os milagres de Cavalieri.

E à medida que o tempo passava o Flamengo ia ficando mais nervoso. Perdidos no meio de campo e sem condições de criar qualquer jogada produtiva seus jogadores passaram a apelar para botinadas, com Conca aparecendo como a vítima preferida, é claro.

Os dois cartões amarelos quase que seguidos serviram para aquietar os aturdidos flamenguistas.

O Tricolor continuava a dominar as ações, com marcação eficiente em quase todos os cantos do campo e cada vez mais dava menos espaço para os adversários.    

Chances foram criadas e desperdiçadas, enquanto Cavalieri era praticamente um espectador privilegiado.

Até que aos 43 minutos veio aquela falta boba, fora do lance de bola, completamente desnecessária. O autor nem vou citar por ser por demais conhecido, já que é useiro e vezeiro em aprontar esses problemas.

Só não entendo como tem vaga cativa no time titular por tanto tempo. Deve ter um padrinho bastante forte.

E a lambança poderia ter sido fatal, não fosse a excelente defesa de Cavalieri na cobrança de Samir cheia de efeito.

O lance acordou o Flamengo, que tentou imprimir pressão, mas não houve tempo porque o intervalo chegou logo.

No segundo tempo, Jaime colocou Negueba aberto pela direita na tentativa de desestabilizar a boa marcação montada por Cristóvão.

Jogando pelas pontas o time da Gávea conseguiu algumas brechas, principalmente em cima de Carlinhos, mas o jogo continuava controlado.

A situação ficou ruim para o Flu aos 23 minutos, quando Arthur, que havia entrado três minutos antes, aproveitou-se de uma furada homérica de Elivélton, dominou e chutou por cima.

Os torcedores rubro-negros meio que calados até então se animaram com o lance e empurraram o time que chegou a ter algumas chances de gol.

Jean também fez uma falta boba na lateral direita, quase convertida por Alecsandro que cabeceou para fora.

A essa altura alguns tricolores davam mostras visíveis de esgotamento, o que fez com que Cristóvão optasse pelas entradas de Walter e Chiquinho.

Aí foi só se posicionar na defesa a espera de uma chance para contra atacar e matar o jogo.

E ela veio aos 41 minutos. Walter, mesmo derrubado por um adversário, conseguiu recuperar o domínio da bola e esticou-a para Conca, que com um passe preciso deixou Chiquinho livre para penetrar como um raio e fulminar Felipe.

Fluzão 2 a 0 e vitória garantida.

Há que se louvar o empenho de Walter na jogada, que diferentemente da maioria que para e reclama quando recebe falta, levantou-se, passou pelo adversário e tocou para Conca dar sequência ao contra ataque.

No fim, deu a lógica com a vitória da equipe mais consistente e que dominou a maior parte do tempo.

E exatamente como enfatizou  Gustavo Albuquerque em seu excelente ensaio Narciso (Globoesporte.com) “eles  tiveram que olhar de frente a nossa cara”.

Olharam e tiveram o dissabor de testemunhar mais uma incontestável vitória nossa. 

Rala mídia cretina e


DÁ-LHE FLUZÃO!


DETALHES:

CAMPEONATO BRASILEIRO – 4ª RODADA

Fluminense 2 x 0 Flamengo

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ); Data: 11/05/2014
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Rodrigo F. Henrique Correa (RJ) e Luiz Claudio Regazone (RJ)
Gols: Fred, aos 10' do primeiro tempo e Chiquinho, aos 41' do segundo
Cartões Amarelos: Carlinhos e Chiquinho

Fluminense: Cavalieri; Bruno, Elivélton, Gum e Carlinhos; Diguinho, Jean, Wagner (Chiquinho, 34'2ºT) e Conca; Rafael Sobis e Fred (Walter, 28'/2ºT). Técnico: Cristovão Borges.

Flamengo: Felipe; Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Cáceres (Muralha, 20'/2ºT), Márcio Araújo, Luiz Antonio (Negueba, Intervalo) e Mugni (Arthur, 20'/2ºT); Paulinho e Alecsandro. Técnico: Jayme de Almeida.

Um comentário:

Junior Mota disse...

boa analise amigo,seus post sao otimos,sempre acompanho.