segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Flamengo 0 x 1 Fluminense. Ninguém mais segura o Fluzão!

Goleiro e Artilheiro Notas Dez.
(fotos: Lancenet.com.br / Bruno de Lima e Nelson Perez / Fluminense F.C.)


A partir da vitória sobre o Atlético-MG, os rubro-negros passaram a considerar como favas contadas os três pontos do Fla-Flu.

Fazendo coro com a massa torcedora, a mídia tendenciosa não cansou de fazer comparações entre os momentos dos dois clubes no campeonato, comparações que sempre pendiam para o maior poderio urubu.

Os “malas” protagonistas da postagem anterior e mais alguns que ficaram de fora por absoluta falta de espaço, azucrinaram as mentes tricolores de tal modo que muitos chegaram a temer pelo pior.

“O time que derrotou brilhantemente o Galo não deverá ter dificuldades para ganhar o Fla-Flu”. Essa e outras aleivosias foram repetidas por diversas vezes até pelos que se dizem tricolores.

Pois bem, chegada a hora do jogo tão esperado bastaram alguns poucos momentos de brilho dos craques tricolores para que a vitória fosse consumada.

E através de outro gol antológico de Fred, num misto de voleio e bicicleta só possível para os craques privilegiados.

E o que falar do cruzamento magistral de Deco? Poucos armadores têm a capacidade de pressentir para onde os atacantes irão se deslocar. E ontem, ele anteviu a corrida de Fred e colocou a bola exatamente na posição ideal para o arremate certeiro.

Mas, o jogo não foi nada fácil. Foi uma batalha digna dos Fla-Flu’s __ o clássico incomparável, o melhor e mais charmoso do mundo.

O Flamengo empolgado pelas últimas vitórias, tal como Fênix parecia ressurgir das cinzas. Atacava com ímpeto encurralando o Tricolor, que se retraia à espera da oportunidade para contra atacar.

As investidas rubro-negras não assustaram no início e só surtiram efeito após o gol tricolor quando mais uma vez brilhou Cavalieri.

No segundo tempo, o Fluminense recuou mais ainda e permitiu que o Flamengo tivesse várias oportunidades, perdidas nas defesas de Cavalieri ou na imprecisão dos chutes de seus atacantes.

Apesar da maior posse de bola dos adversários, o Fluminense teve as suas chances, em especial com Thiago Neves, que acertou as traves de Felipe por duas vezes.

A coisa piorou para o Tricolor mais uma vez pela cabeça teimosa de seu treinador, quando Fred sentiu câimbras e pediu para sair, aos trinta e oito minutos de jogo.

A entrada de Rafael Sobis, que seria o normal para qualquer cidadão medianamente esclarecido, não foi a opção de Abel.

E, repetindo o erro que já havia feito contra Figueirense e Náutico, colocou mais um volante e pior, escolheu o Diguinho.

Na oportunidade comentei com amigos que agora o Flamengo passaria a ter as oportunidades de faltas nas imediações da área, especialidade do volante escolhido.

Já imaginava as “bombas” de Renato Abreu zunindo perto de Cavalieri.

Mas, não aconteceu. Dessa vez o estabanado “cabeça de área” esmerou-se e cometeu um pênalti bobo e desnecessário.

Ainda bem que Cavalieri estava imbuído do espírito de Castilho e fez a defesa que garantiu a vitória.

Vitória suada, mas com um sabor todo especial que coloca o Fluminense com a mão na Taça, isso se o Abel não insistir em atrapalhar.


E DÁ-LHE FLUZÃO!   T E T R A C A M P E Ã O!


DETALHES:

Flamengo 0 x 1 Fluminense

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ); Data: 30/9/2012

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ)

Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (Fifa/RJ) e Ediney Guerreiro Marcarenhas (RJ)

Gol: Fred, aos 18' do primeiro tempo.

Cartões amarelos:; Digão, Edinho, Jean e Thiago Neves

Flamengo:  Felipe, Wellington Silva, Frauches, Marcos González e Ramon; Amaral (Renato, 26'/2ºT), Ibson, Léo Moura (Bottinelli, 20'/2ºT) e Cleber Santana; Liedson (Nixon, 20'/2ºT) e Vagner Love - Técnico: Dorival Júnior.

Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Digão e Carlinhos; Edinho, Jean, Deco e Thiago Neves (Wagner, 35'/2°T); Fred (Diguinho, 38'/2°T) e Wellington Nem (Marcos Júnior, 27'/2°T) - Técnico: Abel Braga.


4 comentários:

Rodrigo Stopa disse...

Boa tarde,
Aqui em MG não passou o Jogo, só no PFC pago.
Mas pelo Resumo que vi, deu pra sentir o gostinho de CAMPEÃO !!!
Jogo dos sonhos, golaço; pênalti defendido; gol anulado...
A falta do Diguinho não foi tão desnecessária assim, visto que a bola ia ficar a vontade para o chute sem marcação do atacante do Flamengo.
Mas uma vez recuamos e fomos brindados pela Sorte e falta de pontaria dos adversários...
Nosso Time é muito Time pra fazer 1x0 e recuar...
Rodrigo

Pedro L. disse...

O Flu definiu o jogo com os seus talentos individuais.
Fred teve duas chances reais no jogo e fez um golaço.
Thiago Neves chutou 4 vezes a gol e colocou duas bolas na trave.
Deco não foi tão bem como de costume, mas acertou aquele belo passe no gol do Fred.
Ou seja, este Fla-Flu foi decidido da mesma forma de várias outras vitórias este ano: na individualidade de nossos craques. Nosso elenco é o melhor do país e segue firme rumo ao título.

Dois comentários:
1) Como o blog ja disse, ontem o Abel deu mais uma Abelada. Colocar o Diguinho foi da picada.
Além de atrair o adversário para o nosso campo, o Abel colocou o pior volante que temos.
O Abel fez a mesma lambança do jogo contra o Figueirense.
O Diguinho normalmente possui uma técnica limitada e neste momento se encontra completamente fora de forma.

2) Destaque para a fase excelente do Diego Cavalieri. Mais uma vez o nosso goleiro comprovou ser o melhor da posição neste campeonato.

Tricolores: Por favor, não cobrem do Mano a convocação do Fred e do Cavalieri. Não podemos perder estes 2 jogadores para a seleção jogar contra China, Iraque e etc... Estes amistosos são inúteis, pois ajudam em nada na formação da Seleção.

Saudações Tricolores!


Ponto

Tricolor! disse...

Hélio, não falei que o Telmo Zanini divide o posto de pior dos piores com o Neto??

Olha a pérola da boçalidade...

"Carlinhos (sim, ele mesmo, o Carlinhos Soneca) é melhor do que o Marcelo (sim, o do Real Madrid)."

E o Digão é mais jogador do que o Thiago Silva!...

Helio R.L. disse...

Para falar uma bobagem dessa, só mesmo com a moringa cheia de cana.

Vai ver ele também esteve nas baladas da vida.

Saudações Tricolores.