segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Vasco 2 x 2 Fluminense. Jogão e público recorde.


Casa cheia com recorde absoluto do campeonato de 2010.
.
O público de mais de 80.000 presentes mostra a pujança do futebol carioca, que com apenas um pouco de organização põe todo mundo para trás.
.
Ao final das contas o empate acabou premiando as duas equipes. Pior para o Fluminense que não conseguiu traduzir no marcador a superioridade demonstrada no início do jogo.
.
Aos poucos o Vasco foi se acertando e numa roubada de bola na defesa conseguiu armar um contra-ataque que acabou num passe primoroso de Carlos Alberto para Eder Luiz empatar.
.
No início da segunda etapa outro passe preciso do meia proporcionou o segundo gol do Vasco. Incrível como o Fluminense deixa de ganhar jogos por obra de suas antigas revelações, deixadas escapar entre os dedos por uma diretoria pouco afeita à administração do clube.
.
Enquanto isso, a Torcida Tricolor é obrigada a ver volantes medíocres perdendo bolas incríveis à “La Fabinho”, graças a Deus hoje bem longe das Laranjeiras.
.
Felizmente a lambança dupla de Felipe e Zé Roberto colocou as coisas em seu devido lugar.
.
Deco teve uma estréia discreta como esperado, tanto tempo que ficou sem jogar. Na plenitude de sua forma a chance de perder aquele gol seria praticamente nula.
.
A providencial contusão de Diguinho acabou com as dúvidas de Muricy quanto o aproveitamento de Deco. Sai Diguinho, entra Deco. Simples assim, sem necessidade de alterar o sistema de jogo que vem dando certo.
.
Com a volta do Fred e a manutenção do Deco, o Fluminense tem tudo para continuar na liderança do campeonato.
.
.
E DÁ-LHE FLUZÃO!
.
----------------------------------------------------------------------------------------
.
Santos dá lição ao Fluminense (José Ilan)
.
A Diretoria do Santos deu um exemplo que deveria ser seguido pelos grandes clubes do Brasil.
.
Ao evitar a saída de Neymar provou que mesmo com a existência de uma legislação espúria, que serve apenas para beneficiar aproveitadores, a maioria sem a mínima preocupação com o bem estar futuro de atletas ainda em formação, é possível brecar as ações deletérias desses atravessadores que visam apenas o seu lucro pessoal em detrimento dos clubes e do futebol brasileiros.
.
Foi um prazer imenso ver a “cara de pastel” do representante do jogador tentando convencer a todos que havia trabalhado em prol do Neymar. Tremendo “cara de pau”.
.
Sobre o fato valeu o post do José Ilan, reproduzido a seguir, onde o jornalista traça um paralelo entre as atitudes opostas tomadas pelas diretorias do Santos e do Fluminense e culmina com “pêsames ao clube que envergonha seu passado e mata o próprio futuro”.
.
Assunto para reflexão daqueles que realmente amam o Fluminense.
.
SAUDAÇÕES TRICOLORES E FORA TRAFFIC!
.
Globoesporte.com
Blog do Ilan
.
Santos dá lição ao Fluminense
sex, 20/08/10
por ilan

O Santos segurou heroicamente o garoto Neymar. Deu um sonoro “não” para a montanha de dinheiro do poderoso Chelsea, e ofereceu ao seu jovem craque um aumento substancial. Quase ninguém esperava, mas ele topou. E assim, fez um bem a si próprio, ao clube, e ao futebol brasileiro.
.
Já o Santos deu uma lição; deixou em maus lençóis clubes brasileiros que vendem de forma obscena promessas-adolescentes.
.
O exemplo mais notório é o Fluminense. Entra ano, sai ano, o clube segue como um dos maiores formadores de talentos nas categorias de base. Mas pelos últimos tempos, poderia ser alvo de uma triste adaptação de um velho slogan do seu maior rival, Flamengo:
.
Craque, o Fluminense faz em casa; e entrega baratinho depois.
.
A coleção de bons jogadores vendidos precocemente pelo tricolor carioca, seguramente não tem paralelo no Brasil: Os gêmeos do Manchester Rafael e Fábio, Rodolpho, Marcelo, Carlos Alberto, Roger, Arouca, Diego Souza, só pra citar alguns; e mais recentemente Maicon e Alan. Alguns podem argumentar: “Mas o clube fez caixa, precisou vender para sustentar seu futebol, blá, blá, blá…” Como se o Flu não fosse um dos maiores importadores de medalhões sobrevalorizados do país; como se não contratasse quase sempre “grifes” a peso de ouro, independentemente de estarem em boa forma. Tudo isso, quase sempre, com péssimo custo-benefício. Basta ver quantos títulos o Flu conquistou nos últimos anos.
.
E o clube das Laranjeiras, quase sempre, vende mal. Uma das poucas exceções talvez seja (eu disse talvez) o recém-negociado Welington Silva, que sai por R$ 10 milhões de Reais, vendido ao Arsenal inglês. No mais, em geral entrega suas jóias, ainda na base, nas mãos de sombrios empresários, que dão em troca benefícios duvidosíssimos ou parcos caraminguás. Em pouco tempo, um jogador que emplaque razoavelmente e vá para um clube europeu mediano, quintuplica o valor “investido” por um dos espertalhões que têm passe livre em Xerém e nas Laranjeiras.
.

A desculpa sobre a constrangedora liberação gratuita de Alan, de que ele “não pertencia mais ao clube, os direitos já eram da empresa tal, que no começo do ano conseguiu (viu como são bonzinhos?!) a permanência de Conca no clube”, é facilmente derrubada por soluções que seriam simples, se houvesse interesse: O Fluminense (ou seu patrocinador) poderia ter aumentado dignamente o salário de Alan (que não aceitou o modesto reajuste proposto), ou lá atrás poderia ter investido recursos para acertadamente ficar com Conca; mas preferiu dar em troca de bandeja Alan, Maicon e Dalton para o grupo de empresários que “cederam” o argentino. Afinal, o clube precisava poupar para pagar os 10 milhões de Reais anuais que vai gastar com Deco. Bom negócio? Depende pra quem. Para o clube, péssimo.
.
Esconder-se atrás dos bons resultados de momento e da liderança do brasileiro é fechar os olhos para um modelo equivocado e que compromete a sobrevivência do clube a longo prazo.
.
Pois há pouco ouvi uma declaração que poderia soar demagoga, utópica, de candidato em campanha, se não tivesse saído da boca do presidente de fato e direito do Santos Futebol Clube, Luis Álvaro de Oliveira – que merece os parabéns, porque fez o que prega: “Aceito conversar com quem for sobre qualquer assunto. Menos sobre vender os jovens craques do Santos”.
.
Parabéns pra ele por fazer viver o presente do Santos.
.
Meus pêsames ao clube que envergonha seu passado e mata o próprio futuro.

6 comentários:

Ricardo Florêncio dos Passos disse...

ótimo texto, mais favorito do que nunca! rs

meu blog sobre o Flu: redigindoumapaixao.blogspot.com

Marcio Cardoso disse...

Alô Hélio e Pedro,

mais uma parada dura com o Vasco - o que que aconteceu nos últimos 10 a 15 anos que o Vasco vem levando grande vantagem em confrontos diretos, mesmo com times inferiores... que reversão daquela escrita dos bons tempos.

Grande exibição do Conca (como sempre) e, do lado adversário, o "nosso" Carlos Alberto que quase sapeca um gol lá no finalzinho, depois da absurda bola isolada pelo Deco ($650 mil por mês para isso? tinha no mínimo que ter explodido no travessão).

Parabéns pela constante denúncia ao vergonhoso tratamento da prata-da-casa pelo Fuminense - só é concebível se imaginarmos más intenções: se não tiver gente nas Laranjeiras ganhando um por fora a cada transferência absurda, então a estupidez é demais.

Agora, tem que ganhar os dois próximos jogos e torcer para o Cruzeiro no Mineirão dar um espremida no Corintians, que está mostrando qualidades, como o resultado sobre o São Paulo demonstra. Até o momento não apreceram outros times com a consistência para chegar mais junto dos líderes, embora o Joel tenha engrenado uma série de vitórias para o Fogo. Um empate Fogo x Ceara cairia bem, ou até uma vitória nordestina ;-)

Dá-lhe Nense!

Marcio Cardoso disse...

Aí Hélio, a gente falou daquele Flu 4 x 2 Fla de '73 debaixo da chuva. Olha o quarto gol aí do Dionísio - e o narrador bobão (Luiz Mendes?) mais preocupado com o suposto impedimento do que com o gol do título.

http://www.youtube.com/watch?v=xIG__f62ck4&NR=1

Blog Águia Futebol Feminino disse...

Jogo sensacional com show das duas equipes e principalmente das duas torcidas, estamos ambos de parabéns e boa sorte ao Vascão e ao Flusão na sequência do sertame nacionbal.

Abraço
Jeferson
Diretor
Águia F. F.

Helio R.L. disse...

É Marcio,

Parece o Luiz Mendes sim. Pra vc vê que já naquela época a "cachorrada" já tinha bronca do Flu. E veja que foi o 4º gol, o Flu já vencia por 3 x 2 e chovia demais.

Sds.

Helio R.L. disse...

E ai Jefferson, o Carlos Alberto vai jogar isso tudo sempre? Se continuar assim vai levar o Vasco para a Libertadores já que p título irá para as Laranjeiras. Pelo menos eu torço para isso.

Abraços e saudações tricolores.