segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Olaria 0 x 0 Fluminense. Eta joguinho xôxo!


Foi um jogo lento, com sono. A equipe sentiu muito o desentrosamento, além da juventude dos estreantes. Não faltou correria e disposição, mas não havia organização do meio para a frente.

O Flu foi beneficiado com a justa expulsão de um jogador do Olaria na primeira metade do primeiro tempo. Com superioridade numérica, o time passou a tocar a bola com mais facilidade, porém com pouca objetividade.

Sem Conca e Everton, a criação de jogadas ficava a cargo do Diguinho, o capitão da equipe esta noite. Apesar de não gostar muito do Diguinho, reconheço que o seu futebol tem evoluído nas últimas partidas. Mas daí confiar a ele a criação das jogadas, rola um pouco de exagero do seu amigo Cuca.

Apesar da maior posse de bola, o Fluminense não conseguia criar. A formação com três zagueiros não fazia mais sentido. O Olaria atacava e a bola ficava girando na defesa e no meio campo do Fluminense.

A rigor, no primeiro tempo, somente uma boa chance, com o Fábio Neves, com uma boa defesa do goleiro Ângelo do Olaria.

Os estreantes sentiram o peso da estreia e o desentrosamento do time. Todos correram, lutaram e não comprometeram, mas nenhuma atuação a se destacar. O volante Neves foi o mais seguro dos garotos.

No segundo tempo, Cuca percebeu que com um jogador a mais, não havia mais necessidade de três zagueiros e sacou o Digão, dando lugar ao Kieza.

A entrada do Kieza melhorou um pouco a movimentação na frente, porém uma vez mais, mostrou que é um atacante com tremendas dificuldades para finalização. Na grande chance que teve, em vez de chutar de primeira, resolveu levantar a bola antes do arremate, o que permitiu a chegada do goleiro para bloquear a bola. Seu empresário declarou que ele não deverá continuar no clube pela falta de oportunidades. A menos que melhore muito em outra equipe, não deixará saudades.

A melhor oportunidade do jogo foi em uma das poucas estocadas do Olaria. O atacante Romário perdeu um gol incrível na marca do penalti numa linda defesa do Rafael com os pés. Ainda bem que não era o xará baixinho do outro lado...

Esse lance evidenciou o mesmo buraco que vez por outra aparece em nossa defesa. Ontem foi o Romário genérico, sábado será o Dodô, o Carlos Alberto ou o Philippe Coutinho e aí o estrago poderá ser pior do que foi contra a urubuzada.

No final, Cuca colocou Dori em campo, mas a jovem promessa não teve oportunidade nem tempo de mostrar seu futebol.

Enfim, o zero a zero acabou sendo justo.


------------------------------------------------------------------------------------------------


Já está ficando chato. É sempre a mesma coisa. Toda vez que o Fluminense chega a fases decisivas, a mídia mulamba tenta plantar notícias sobre a saída de seus principais jogadores.
.
A bola da vez é novamente o Fred, que teve seu nome veiculado a uma possível transferência para um clube de São Paulo.
.
Vê se te manca mídia mulamba, porque mais cedo ou mais tarde ... O FRED VAI TE PEGAR!
.
.
E DÁ-LHE FLUZÃO!
.

2 comentários:

Williman disse...

Para os tricolores que não esque lá vai uma boa noticia ... ele sonha em voltar ...

Adriano Magrão virou "cliente"
Se nos últimos jogos ele vinha sendo "garçom", ontem Adriano Magrão deu uma também de "cliente". Foi abastecido várias vezes pelos companheiros e saiu de campo com mais três gols na artilharia da competição. Além de saber proteger a bola de costas para o adversário, de ter uma ótima visão de jogo, o "homem-gol" tem a frieza na hora da finalização. O primeiro gol contra o Centenário mostrou isso. De longe, imagine-se que ele cabeceia de olhos bem abertos. Colocou a bola com maestria no gol adversário. Bateu os dois pênaltis como manda o figurino (até que no segundo o goleiro foi bem no lance). E para finalizar: Magrão corre o tempo inteiro. Não coloca a mão na cintura.
Cometarios do Blog do AMERICA DE NATAL vermelhodepaixao.blogspot.com sobre o ex Flu Adriano Magrão . Deu saudade ...

Helio R.L. disse...

É Williman,

Embora esteja longe dos melhores centro-avantes tricolores, Adriano Magrão é bem superior a muitos dos atacantes contratados após a sua saída.
A rigor craque mesmo só o Fred, os outros são bolas murchas, alguns dos quais ainda continuam no elenco.
Outro ponto que gostava nele é que dificilmente se contundia, ao contrário dos "canelas de vidro" de hoje.
Infelizmente,casos como esse são frequentes no Flu, vou citar apenas o do Marcão para ilustrar. Após sua dispensa, foram contratados Ygor (que nos custou uma Libertadores), Jailton, Leandro Bonfim, Leandro Domingues, Wellington Monteiro e ainda ficaram com o Fabinho. Dose né?

Saudações Tricolores.