quinta-feira, 15 de maio de 2008

Quarta-feira vai ter negra. E vai dar Fluzão na cabeça!

É, tricolores verdadeiros, no primeiro jogo não deu. Certamente dará no segundo. A grande maioria dos comentários, incluindo aí a declaração do Muricy, foi unânime em afirmar que o São Paulo jogou a sua melhor partida do ano. E por que isso? Porque entraram em campo com o objetivo de não tomar gols. Entrincheiraram-se, deram botinadas a valer e saíram em contra-ataques mortais, facilitados pela excelente forma física do Adriano.

Conseguirão o mesmo sucesso no Maracanã? Aposto que não. O genérico não possui meio campo e tem obtido sucesso basicamente por dois fatores: seus atletas se entregam de corpo e alma, passam a bola para o companheiro melhor colocado sem constrangimento algum, além de ter um técnico que enxerga longe, sendo um dos poucos no Brasil que sabe alterar a feição de uma partida.

Encontraram pela frente uma equipe que não foi o Fluminense de outras jornadas. Apática, morosa, dispersiva. Alguns jogadores como que pregados ao chão. Lentos para decidir, perdendo a maioria das divididas, além da persistência no individualismo.

Somando-se essas deficiências à inocuidade do Ygor e ao reaparecimento da mão de alface, até que o resultado não foi de todo ruim. Será perfeitamente reversível no Maracanã se todos, sem exceção, darem o máximo de si e correrem mais do que os paulistas. Se conseguirmos igualar a raça, na técnica venceremos por mais de um gol de diferença.

Esperemos que seja isso que aconteça. Que a torcida esteja presente em massa, que lote o Maracanã e esprema os quatro mil sampaulinos que deverão estar presentes num cantinho acanhado do estádio. Quatro mil sim. A mesma carga de ingressos que nos destinaram. A torcida tricolor acredita piamente que a atual diretoria (ainda com d minúsculo) não vá repetir o erro do passado, quando o presidente Horta enviou metade dos ingressos para os corintianos, numa semifinal do campeonato brasileiro.

O genérico vai sentir a pressão de nossa torcida e sucumbirá na cidade maravilhosa. Será eliminado sem dó nem piedade. Não devemos nos esquecer da Libertadores do ano passado, quando o Grêmio detonou o São Paulo, jogando apenas na base da raça e da força. E aquele São Paulo era muito superior ao de hoje.

Com o apoio incondicional de sua torcida, o Fluminense viverá mais uma noite de gala. A vitória será incontestável. Certamente Nelson Rodrigues e sua trupe estarão presentes. Quem sabe não convencem o Castilho a reencarnar no Fernando Henrique, o Didi no Thiago Neves, o Tim no Washington, o Orlando Pingo de Ouro no Dodô e o Telê no Renato? Talvez não consiga ninguém que se disponha a se incorporar no Ygor, pois todos os tricolores ilustres sabem que nem com a ajuda do além ele será capaz de jogar bola. É uma questão fisiológica.

É isso aí, torcida tricolor. Vamos lá ajudar a destronar o Genérico Paulista e provar quem é o verdadeiro tricolor.

Quarta-feira todos ao Maraca. O Fluminense precisa do nosso apoio.

Um comentário:

Tricolor!!! disse...

!...