quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Fluminense 2 x 1 Atlético-MG. Prenúncio da volta das jornadas épicas!


(foto: Nelson Perez / Fluminense FC)

Noite quase mágica.

O predomínio tricolor na etapa inicial foi tanto que se tivesse vencido por dois ou três de diferença não seria nada anormal.

Aliás, isso só não aconteceu graças às quatro defesas soberbas do Victor, sem dúvida o melhor dos adversários.

A defesa falhou menos e enfim conseguimos um grande resultado no Maracanã.

Trinta pontos, mesma pontuação da turma do G6, Dourado artilheiro absoluto e enfim a melhora de Scarpa.

Uma grata surpresa, num momento triste em que nossos dirigentes partem para a Europa, com pires na mão, como se mascates fossem, para entregar de bandeja nossa maior revelação dos últimos anos. E como de praxe: a preços vis.

Paciência. Esperar o que de uma administração que não consegue um patrocínio sequer?

Inaceitável o valor divulgado pela mídia. Ou será que o Douglas vendido há pouco pelo Vasco é melhor jogador?  

É por essas e outras que o Vale das Laranjeiras não me encanta, afinal revela craques apenas para brilharem em outras plagas.

E os torcedores continuam votando nessa gente despreparada.

Mas, deixemos as lamúrias de lado porque o que interessa mesmo é comemorar a bela atuação.

Mantendo o espírito e com o reforço do Sornoza as chances de ficar entre os primeiros aumentam, além da possibilidade de título da Sul Americana.  

É torcer para que parem as contusões e que num futuro não muito distante tenhamos um presidente da estirpe de um Francisco Horta ou Manuel Schwartz.

Quem sabe João de Deus não envia inspiração?


E DÁ-LHE FLUZÃO!


DETALHES:

CAMPEONATO BASILEIRO – 21ª RODADA

Fluminense 2 x 1 Atlético-MG

Local: Estádio Marioo Filho, Maracanã, Rio de Jneiro, RJ; Data: 21/08/2017
Árbitro: Vinicius Gonçalves Araújo Dias (SP)
Assistentes: Rogério Pablos Zanardo (SP) e Herman Brumel Vani (SP)
Gols: Henrique Dourado, aos 37' do primeiro tempo; Valdívia, aos 11' e Henrique Dourado, aos 42' do segundo
Cartão amarelo: Wendel

Fluminense: Júlio César; Lucas (Matheus Alessandro, 27'/2ºT),Renato Chaves, Henrique e Léo; Marlon Freitas (Marcos Junior, 28'/2ºT), Orejuela, Wendel e  Scarpa; Welllington Silva (Peu, 41'/2ºT) e Henrique Dourado. Técnico: Abel Braga.

Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Bremer e Fábio Santos; Yago, Roger Bernardo (Valdívia, intervalo), Elias, Cazares (Robinho, 41'/2ºT); Luan e Rafael Moura (Fred, 25'/2ºT). Técnico: Rogério Micale.

(foto: Lucas Merçon / Fluminense FC)


Um comentário:

Tricolor! disse...

Perdoe-me pela grosseria, mas que bosta de temporada, hein, companheiro??
Seu blog, como sempre, retrata o espírito do torcedor. Sem ânimo até para atualizar. Atualizar o quê, não é mesmo? Não há elementos novos a serem considerados. A lama é perene e homogênea.

E que bosta pior ainda de perspectivas para 2018, hein? Mais homogeneidade lamacenta até aonde nossas vistas alcançam no horizonte.

Que saco. Resta-me acompanhar o Ravens na NFL. O Flacco tá outra gigantesca bosta, mas pelo menos a defesa tem conseguido razoavelmente carregar o medíocre e caríssimo quarterback nas costas.

É, meu amigo. Lembro-me de começar a acompanhar seu blog salvo engano na época da montagem daquele time campeão da Copa do Brasil de 2007. Se não tou trocando as bolas, foi quando trouxemos o Cícero e o Soares.

Até quando nos mataremos de nostalgia por aquela libertadores de 2008? Tudo bem que o título não veio... Mas que time. Renato Chaves? Nogueira? Henrique?? Nada, o ídolo e tricolor autêntico Thiago Silva. Thiago Neves no auge. Leandro Amaral voando. Washington, um certo coadjuvante chamado Conca, Dodô... Aliás, que puta golaço nos 6 x0 da estreia...

E as lembranças vão se sucedendo. Pelo menos as temos. Temo pelo meu pobre filhote de 5 anos. Quando ainda bebê, aconteceu o último título decente. Nessa toada, o que o pobrezinho terá para se lembrar no futuro?

Fique bem, brilhante blogueiro.

Saudações Tricolores!