sábado, 9 de fevereiro de 2013

Fluminense 1 x 1 Vasco da Gama. Preocupante!

De que adianta ter um dos melhores ataques  se o treinador teima em escalar três volantes?


Preocupante porque a estreia na Libertadores é daqui a quatro dias. E a insistência do Abel em jogar com três volantes está se transformando num caso patológico.

Mais uma vez foram perdidos quarenta e cinco minutos com a formação dantesca que, como sempre, engessou o time.

E mesmo com três volantes a defesa deu espaço demais aos atacantes do Vasco, que poderiam ter feito mais gols se estivessem num momento mais favorável.

Aliás, o Fluminense tem levado sufoco de qualquer adversário devido a essa tendência extremamente defensiva de seu treinador.

Se a preferência pelo Edinho é de tal monta que o faz abrir mão do futebol ofensivo, que Abel barre o Valência e passe a jogar com mais criatividade no meio de campo.

Cometerá injustiça ao barrar o colombiano, conforme suas próprias palavras, mas certamente tanto Fred como Wellington Nem passarão a ser acionados com mais frequência e em melhores condições para marcar.

Normalmente esse problema nem deveria estar preocupando a Torcida Tricolor. Bastaria que os quatro titulares da frente estivessem disponíveis na maioria dos jogos.

Entretanto, esperar de Deco e mesmo de Thiago Neves uma sequência de partidas aceitável é uma utopia.

Por isso mesmo que a diretoria não deve perder o foco na recontratação do Conca.

Tudo indicava que Felipe seria contratado para substituir o Deco em suas eventuais ausências e, bota eventuais nisso, mas não será entrando nos últimos vinte ou quinze minutos que irá recuperar a sua melhor condição.

A comissão técnica tricolor ainda não conseguiu enxergar que Wagner e Thiago Neves já deram mostras de sobra que não conseguem articular o meio de campo quando estão sozinhos e só aparecem a contento quando têm companhia habilidosa ao lado.

É uma pena e uma preocupação.

Do jogo em si, pouca coisa a acrescentar.

O Vasco, apesar de se encontrar numa fase de reestruturação, conseguiu causar dificuldades ao Tricolor e acabou o primeiro tempo com a vitória.

É bem verdade que pela categoria maior de seu elenco, o Fluminense poderia ter feito pelo menos dois gols em dois arremates do Fred, o primeiro defendido pelo bom goleiro vascaíno e o segundo acertando o travessão.

No intervalo, Abel minorou o erro, substituindo Edinho por Marcos Junior.

O time melhorou, embora o meio de campo continuasse a produzir muito pouco.

Aos 26’ foi a vez de Felipe, que entrou no lugar de Valencia.

A pressão tricolor aumentou e Marcos teve duas ótimas chances, a primeira com o gol vazio chutou para fora de forma precipitada e a outra em mais um milagre Alessandro colocou para escanteio.

Até que aos 42’ não teve jeito, Carlinhos livrou-se de Nei e centrou na cabeça de Fred, que colocou no canto esquerdo e estabeleceu o empate.

Graças a Deus que Carlinhos acertou o tão pedido cruzamento certeiro para Fred marcar.

Wellington Silva ainda substituiu Bruno e deu mais ofensividade à equipe.

O empate praticamente deixa o Flamengo como líder do grupo e, como consequência, o Fluminense terá que enfrentar o Botafogo na semifinal em desvantagem.

Nada assustador em condições normais, mas em meio à disputa da Libertadores enfrentar os botinudos alvinegros, com gana de provocar cicatrizes, agora incentivados por seu próprio treinador e sob o beneplácito de sua diretoria, temo pela integridade de nossas estrelas para a sequência do torneio.

Espero que a diretoria tricolor tome as providências devidas junto ao Departamento de Árbitros.

Preocupante ainda a possibilidade de Abel vir a repetir os três volantes na estreia da Libertadores. O jogo é contra uma equipe mais fraca, mas que tem o seu forte no meio de campo, onde atua com dois ou até três meias de ligação com alguma habilidade e vários deslocamentos.

E DÁ-LHE FLUZÃO! CARACAS, AÍ VAMOS NÓS!


DETALHES:

Fluminense 1 x 1 Vasco da Gama

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ); Data: 09/02/2013 )

Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)

Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Marcos Sivolella do Nascimento (RJ)

Gols: Jean, contra, aos 42' do primeiro tempo e Fred, aos 42' do segundo.

Cartões amarelos:  Edinho, Jean, Leandro Euzébio, Digão e Fred

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Bruno (Wellington Silva, 30'/2ºT), Digão, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia (Felipe, 26'/2ºT), Jean, Edinho (Marcos Júnior, intervalo) e Wagner; Wellington Nem e Fred. Técnico: Abel Braga.

VASCO: Alessandro; Nei, Dedé, Renato Silva e Dieyson (Fellipe Bastos, 41'/2ºT); Abuda, Wendel (Fillipe Soutto, 26'/2ºT), Pedro Ken e Carlos Alberto; Eder Luis e Tenório (Bernardo, 31'/2ºT). Técnico: Gaúcho.

(foto: Terra.com.br / Agência Photocamera / Divulgação)

2 comentários:

Ramón disse...

"E a insistência do Abel em jogar com três volantes está se transformando num caso patológico."

Venho repetindo isso incansavelmente!

Me preocupo de ver que, de um modo geral, a torcida não tem reclamado. Temos feito partidas sofríveis. Contra o Friburguense, por exemplo, poderíamos tranqüilamente ter tomado 3 ou 4 gols. Hoje, pelo menos, ele colocou o Wagner (centralizado). Quando joga o Thiago Neves (sempre aberto na direita), observa-se claramente um buraco no meio-de-campo.

O Felipe só tem sido escalado na cabeça-de-área, onde ele produz pouco e é facilmente driblado.

Eu queria entender o que leva um treinador, com um elenco desse e após fazer 77 pontos no campeonato brasileiro, a mudar o esquema tático vencedor (4-2-3-1) por essas aberrações táticas com 3 volantes.

Fico feliz de saber que não sou o único muito incomodado com isso!

Patryck Leal Gandra disse...

E aê beleza?!

O Fluminense tem o melhor elenco do Carioca, porém se não souber usar este atributo ao seu favor, ficará difícil conseguir o título.

Abraços.

Qual a maior torcida da Internet? Vote: http://fcgols.blogspot.com.br/p/maior-torcida.html

Aceita parceria?
http://fcgols.blogspot.com.br/p/parceria_23.html